Coletamos dados para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais sobre a coleta de dados, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com a nossa política.

Mata Atlântica em perigo


Conhecida por suas belezas naturais, o Sul da Bahia é também reduto da segunda maior reserva de Mata Atlântica do Brasil. Um grande aliado deste bioma é o sistema Cabruca de Cultivo do Cacau, que preserva as grandes árvores, uma vez que só retira a vegetação herbácea para o plantio. Este mesmo compromisso ambiental, que busca conservar a exuberância deste patrimônio natural, rege os negócios da Camacã Design. Sua matéria-prima é a árvore morta ou caída e seu lema, a produção de móveis sem desmatamento. Prova disso é o resultado de todo o trabalho da Camacã, que começa em sua fábrica, no Sul da Bahia, onde também a Cabruca contribui para preservar a Mata Atlântica e sua biodiversidade.

A partir da identificação e da coleta de madeira morta licenciada, é dada a largada para a produção de belíssimos móveis e artigos de decoração. Compreendendo a importância de se preservar a Mata Atlântica, a Camacã Design aposta na divulgação de seu trabalho, como forma de fortalecer a rede de proteção a este ecossistema que hoje está reduzido a apenas 7% de sua cobertura original. Sua exploração data da colonização do Brasil e atualmente ainda são muitas as ameaças a ela e, consequentemente, à fauna que abriga. São diversas espécies de mamíferos, pássaros, répteis e anfíbios, além de espécies vegetais, que podem ser extintas. Isso sem dizer nos prejuízos climáticos e naturais, que tantos males têm trazido ao homem.

É importante frisar que um dos biomas mais importantes do planeta está em perigo. O recurso natural é finito e, explorá-lo para fins comerciais é uma solução paliativa, que traz consigo o problema ambiental que já reflete em nosso dia a dia, mesmo que de forma gradativa. No intuito de deter esta exploração irracional, criamos a Camacã Design, tendo como matéria-prima, única e exclusivamente, a madeira morta e caída em áreas de cultivo do cacau. A Camacã reconhece a atuação de entidades ecológicas como o Instituto Cabruca, o Floresta Viva, o SOS Mata Atlântica, entre outros.

A empresa acredita que seu trabalho e o de ONGs sérias e responsáveis como as citadas acima, pode diminuir ou deter a exploração irracional de madeira da Mata Atlântica no sul da Bahia. Com o trabalho da Camacã Design mostramos que o planeta está perdendo um patrimônio valioso, que usado de forma responsável, pode alavancar o surgimento de um polo moveleiro baseado no desenvolvimento sustentável.



Atenciosamente, Maia Filho